terça-feira, 14 de junho de 2011

Sussuros do sexo + forte: As Bandidas.


A minha cidade está cheia de bandidos. Uma epidemia, como nunca aconteceu e que ninguém parece conseguir controlar. Mas estes bandidos não roubam carros, quadros ou jóias. Eles andam aí, cruelmente a roubar corações. Vêm com falinhas mansas, dizem o que uma mulher quer ouvir, fazem-na sentir especial e única e depois como se nada fosse, desaparecem. Ora que esta nova classe de ladrões, não me assusta nem um bocadinho. É que apesar de provocarem o terror entre o seio da comunidade das meninas ditas princesas que inocentes ainda acreditam em príncipes, eles desconhecem a existência de mulheres como eu: as bandidas. E eu, apesar de ser fã número um da bandidagem, vou-vos ajudar a reconhecer quando uma mulher vos está a tentar roubar o coração.
Uma bandida tende a ganhar o alvo a atingir pela confusão que lhe provoca, tanto que após lhe anestesiar os sentidos, ele se recusa a acreditar que nada mais do que uma princesa tem ao seu lado. Ela é segura de si e senhora do seu nariz, mas nos momentos certos mostra-se fragilizada para que vocês acreditem que a podem consolar e apoiar, que são importantes na sua vida. Tanto vos faz sentir inferiores a ela de forma quase constante, como solta um elogio que vos parece sincero e vos deixa encantados por tempo indeterminado. A disposição dela funciona como o vento, e vocês, ignorando se naquele dia está para norte ou para sul, tratam-na sempre com muita cautela, como de uma casquinha de ovo se tratasse. Por fim, e porque as bandidas sabem aproveitar o melhor de si, elas dão o seu corpo a conta-gotas, combinando esta espera com momentos intensos de total entrega, seguidos de novo recuo, o que vos deixa loucos de desejo. As bandidas mitificam-se, e vocês comuns mortais, nada mais têm a fazer do que adorá-las.
Chegando a esta fase, cada homem já se questiona o que fez de certo ou errado para justificar cada acto dela. Sente-se tonto e ansioso. Já se afastou dos amigos e tem embaraço em contar aos mais próximos o que lhe vai na alma. É oficial, foram seduzidos. Ou melhor, lamento dizer-vos: foram manipulados, enganados, logrados, iludidos.
Querem saber agora a parte boa da história? Todo este esforço por parte da mulher só se aplica quando ela realmente não está interessada num homem, quando não imagina um futuro com ele, quando só precisa de alguém que aumente um bocadinho o seu ego ou venha apimentar a sua vida sexual. E assim sendo, para bandida, bandido e meio e aconselho-vos a aproveitarem ao máximo este jogo que se pode tornar muito excitante para ambos. Se se apaixonarem, então desistam, fujam a sete pés, porque não há nada que humilhe mais um homem perante uma mulher do que a sua fraqueza.
Por fim a pergunta lógica: Então e quando as mulheres gostam de um homem? Infelizmente meus caros, tenho de vos confessar a verdade: até as criaturas que vos falei em cima se apaixonam e aí… São tão tontas e ansiosas como vocês conseguem ser. Palavra de Bandida!


(Crónica escrita para a terceira edição da revista Bling HIM)

4 comentários:

Jo, the carrot disse...

cá a mim cheira me a inspiração deste texto.

esses bandidos tamém conheço e apesar de moralmente tentar fugir deles a sete pés, são sempre aqueles que nos tocam o coração? não, são eles que nos tocam as entranhas e as revolvem de tal maneira que ficas com um nó que nem percebes bem de que lado veio a pancada.
isto tudo, culminando, penso que só se passa depois de nos tentarmos convencer a nós próprios que é exactamente o tipo de quem fugimos, que não nos interessa porque tem "demasiado": demasiada mania, demasiada experiência, demasiada conversa. é sempre esse, aquele que não deveria ser, que acaba por ser mesmo aquele que nos toca.

acho eu.*

Raquel Fernandes disse...

Os bandidos conheço-os há muito mas tentei-me focar nas bandidas. Mas sim, qualquer que seja o género a história é a mesma... Mas não acho que esteja tanto associado à mania ou experiência. Esses são os coristas. Aos bandidos está-lhes no sangue serem calculistas, manipuladores, teasers. Mulheres então...

Quanto à inspiração o texto foi escrito em Maio de 2008 no intervalo de uma relação ;)

Raquel Fernandes disse...

(E sim Carrot, acabamos sempre por cair pelos bad guys, por isso que abençoo as bad girls.)

Jo, the carrot disse...

mas foste buscá-lo agora por alma e graça do espirito santo...ahã :p

ok, tenho que concordar com a diferença de corista-bandido. mas por vezes misturam-se nos aos olhos!

que sa lixe. venham eles, os bandidos, que a vida é para ser vivida perigosamente e nastymente :D