domingo, 2 de agosto de 2009

Sussurros do sexo + forte: As ex...

A par de outras actividades escrevo uma coluna para uma revista masculina. Fala-se de sexo, amor e relações intimas. Aqui no blog transcrevo um desses textos. Quero feedback meninos....


Falemos de coisas más… Ou talvez não… Ex-namoradas, relacionamentos anteriores, traições, separações e recaídas. O som destas expressões traz uma dor de cabeça aguda à maior parte
dos homens que conheço… Mas cada pessoa, com a sua bagagem emocional individual, reage de forma diferente à delicada situação de passar de mais que tudo a menos que nada.
Pode-se no entanto separar em três grupos os tipos de ex-namoradas. Existem aquelas que vocês nunca mais vão ter contacto, que evitam inclusive olhar nos olhos se se cruzarem na rua. Estas ex-namoradas são normalmente fruto de uma separação problemática, resultante da traição de um ou de outro ou então ainda pior… Do típico e aborrecido caso em que um dos dois está muito mais comprometido na relação que o outro o que faz com que a separação se resuma a três fases: implorar para que voltem, sentimento de humilhação e raiva, ódio e a promessa de que nunca mais lhe falarão. Esta situação, apesar de estar mais associada às mulheres, aplica-se aos dois sexos, porque um coração partido e pior do que isso, humilhado, é algo que ninguém, homem ou mulher, é capaz de lidar.
Depois existem as ex-namoradas opostas a estas. Mulheres com quem vocês depois de terem uma relação, conseguem continuar a conversar, e apesar de não manterem uma relação muito íntima, mantêm aquele que pode ser considerado o entendimento mais saudável entre duas pessoas que já tiveram um relacionamento amoroso. Normalmente este tipo de ex-namoradas, são pessoas com cuja a relação era baseada numa grande amizade e independente dos problemas de balneário que possam ter tido, hoje conseguem olhar um para o outro sem ressentimentos. Sem a possibilidade de futuras recaídas, é até possível que sejam apresentados ao novo homem da vida delas, algo que vocês encaram nos primeiros minutos com estranheza, mas depois com um misto de felicidade e sentimento paternal.
O último grupo de ex-namoradas são aquelas que são mais perigosas nas vossas vidas… Estamos a falar de relações intensas, que terminaram de forma súbita, muita vezes mal resolvida e que já reataram e voltaram a terminar várias vezes. Estas mulheres, podem até não ser as mulheres das vossas vidas, mas são certamente, até que encontrem algo mais intenso, aquelas com quem não conseguem deixar de estar. E não adianta fazerem juras de silêncio, de prometerem mutuamente que nunca mais vão estar juntos e que vão permitir que cada um viva a sua vida, pois basta um encontro fortuito, duas três palavras trocadas ao ouvido ou uma chamada mais emocional para que todas as juras caiam por terra e vocês, naturalmente, nos braços um do outro. E porquê que são perigosas? Porque manter este tipo de intimidade por alguém cuja relação não funcionou, faz com que fiquem muitas vezes agarrados a um passado que anula o vosso futuro e que aniquila as possibilidades de começarem algo novo com alguém. E se vos posso garantir que o sexo de reconciliação, ou uma simples recaída, é dos melhores momentos que vocês podem ter, também vos alerto para que uma noite nunca é só uma noite…
Principalmente com alguém a quem já chamaram meu amor.

3 comentários:

Anónimo disse...

Muito bom Drª.

Estou impressionado com a sua capacidade de escrita.

Descreve de forma impar por palavras aquilo que muitas vezes é um verdadeiro caos na vida real de muita gente.

Tem algum consultório (virtual ou não) para outras questões/provocações do foro social?

Maior sorte no seu percurso profissiona e espero que continue a saudar-nos com as suas eximias cronicas.

TB

Raquel Fernandes disse...

Caro TB.... (Estas inicias não me são estranhas) Consultório não há, mas um conselho posso sempre tentar dar.

sussurros@grupopressure.com

Anónimo disse...

Olá Raquel.

Espero que tenhas tido umas férias de se tirar o chapéu.

Eu concordo com esses três grupos de ex-namoradas. Mas acho que há mais um grupo de ex-namoradas, aquelas que não serão "ex" facilmente.

Hoje em dia ser pai e ir viver com a namorada, mãe dum filho nosso não é invulgar. Mas sei que também deixa de ser uma vulgar namorada.
Nós homens que lutamos pela mulher que amamos e assumimos um filho sem dificuldade, podemos estar a perder uma grande oportunidade para sermos realmente felizes. Imaginamos, se por algum motivo, seja falta de amor ou estar farto das diárias atitudes altruístas que nos fazem desistir de sonhar e quisermos sair de casa, temos de abandonar o nosso filho.
Aquele bebé que te deixou acordado noites e noites, aquele a quem tantas e tantas fraldas mudaste fazendo esquecer o quanto difícil foi mudar a primeira, aquele a quem tantos biberões demos que acho que enchia um camião da Ágros e ainda sobrava, aquele bebé que sempre que nos pedia ou não, dávamos sem pensar, todo o nosso amor e carinho.
Se sairmos, podemos nunca mais ter o contacto que um pai deve ter durante a vida do seu filho e que com certeza tanta falta lhe fará.

De 15 em 15 dias ter direito a 2 dias é injusto e desumano. Nós homens não somos tão sortudos como nos fazem querer, estamos em desvantagem. Por isso, conseguimos aguentar mais tempo as lágrimas, que chegam a doer nos olhos, sem mostrar o outro lado da face, vamos sofrendo.

Deus não permitiria que assim fosse.

Por isso estas namoradas são aquelas que nós não conseguimos largar, aquelas que não serão "ex" facilmente.

RM