sábado, 21 de fevereiro de 2009

81st Academy Awards


Pela primeira vez em muitos anos consegui o impensável que foi ver praticamente todos os filmes nomeados aos Oscars nas diferentes categorias. Dois motivos: 1º porque estudo cinema. 2º porque vivo em Inglaterra onde os filmes estreiam praticamente ao mesmo tempo que nos EUA (apesar do Benjamin Button ter estreado primeiro em Portugal do que aqui... vai se lá saber...).

Ao observar os nomeados 2008 não foi um grande ano para filmes. Não há nenhum nome que se destaque, motivo pelo qual talvez exista tanta euforia à volta de Slumdog Millionaire um filme que até podia ser bom, mas não é. Se calhar bastava mudar os 10 minutos finais e segundo o que constatei nos circulos cinematográficos onde me movo, esta é uma opinião generalizada. Mudava-se o final irritantemente feliz e até podia ser que nos esquecessemos dos mil e um cliches e a constante falta de verosimilhança que contituem as duas primeiras horas de filme. Danny Boyle também não é um grande realizador, o trabalho que mais gosto dele é o Transpotting, o único onde acredito genuinamente que ele não se perdeu no argumento como aconteceu nitidamente no The Beach.

Falando em campeões de nomeações temos The Curious Case of Benjamin Button, outra desilusão. Este filme tem um óptimo trailer, que deixa água na boca. Mas é só isso. Eu tenho um problema com filmes excessivamente longos, principalmente quando me canso de os ver depois da primeira hora. E o Button... Eu depositava esperanças em David Ficnher e achei que esta podia ser oportunidade de ouro, talvez até receba o Oscar pelo conjunto de trabalhos anteriores, mas.... Este filme do mesmo argumentista do grande Forrest Gump não é mais do que uma história fantasiosa, com pouca consistência e com muitas e estranhas semelhanças com o Run Forrest Run!

The Reader, tem a fabulosa Kate Winslet que com tantas nomeações, não me parece que desta vez lhe escape a estatueta... Mas mais uma vez lá vêm os meus "issues" cinematográficos e que me deixaram imediamente de pé atrás com este filme. Numa Alemanha pós Nazi, toda a gente fala inglês, e ainda por cima com uma tentiva de sotaque alemão só mesmo para irritar. Odeio, odeio, odeio a falta de compromisso que as produções cinematográficas têm com a lingua que deve ser falada no âmbito das historias em questão. O mesmo acontece em Slumdog.... O mesmo continuará a acontecer. E para mim filmes assim, nunca poderão ser grandes filmes. Para além disso The Reader desilude pela falta de consistência nas personagens e um argumento quemerecia ser melhor trabalhado.

Kate Winslet poderá ter pela frente Meryl Streep, que na sua 15ª nomeação constitui o fabuloso elenco de Doubt, um filme aparentemente simples do qual gostei muito. Frost/ Nixon não vi, li más e boas criticas mas dele não vou falar sem ter uma opinião sustentada. A verdade é: não vi porque não me atraiu. E isso parece-me motivo suficiente para não ser o filme do ano.

Chegamos a Milk. Eu adorei Milk. Gus Van Sant é um fabuloso realizador independente que merece o Oscar e o filme, sem ser pretencioso ao contrário dos outros mencionados, conta com uma fidelidade perturbante a história real de Harvey Milk que Sean Penn interpreta de forma fenomenal. Um segundo Oscar para este senhor por favor. É tudo que peço este ano a esta respeitosa (às vezes) Academia.

Secundários: Heath Ledger, sem dúvida. Pode até não ser o melhor, mas toda a gente gosta de uma boa homenagem a puxar à lágrima. Cá entre nós: ele até merece. Nas senhoras divido-me entre Amy Adams, brilhante em Doubt e Penelope Cruz que sem ter uma interpretação de luxo, dava o Oscar na única categoria a que este filme está nomeado. E Vicky Cristina Barcelona merece um Oscar, pelo menos no contexto cinematográfico de 2008.

Melhor filme animado, sem grandes surpresas e sem grandes filmes o Oscar irá para Wall-E, aposto 100 libras com que quiser! Nos argumentos, a minha categoria favorita, original deverá ir para Milk e Adaptado.... Para mim a grande dúvida noite... Talvez nesta categoria Slumdog Millionaire seja um justo vencedor, assim como Benjamin Button, filme de 3 horas adaptado de uma short story.

Como sempre que ganhe o melhor, o que nem sempre acontece... Mas mesmo sabendo disso e com a Industria a atroplear a passos largos a Arte eu continuo fascinada por esta cerimónia, senão mais curiosa com os vestidos, com os discursos e já agora... Com Hugh Jackman... Como será que este caramelo australiano se vai sair???

Amanhã a partir da uma da madrugada na ABC.

2 comentários:

Fangueiro disse...

QUASE QUE ACERTASTE EM TUDO =D QUASE...

e o Hugh Jackman para meu espanto... esteve muuuuita bem! grande enterteiner ;)

beijooo

claudia oliveira disse...

eu tmb vi quase todos. o preferido para mim é o caso benjamin e o melhor actor o que fez o wrestler. falta-me o milk.

linkei-te.

batom