segunda-feira, 30 de junho de 2008

Love, love is a verb/ Love is a doing word

Esta música já tem uns bons anos... Lembro-me que o meu mais que tudo me gravou um cd onde eu a ouvia vezes sem conta no carro. Teardrop, Massive Attack.
Esta versão é o terceiro single da surpresa José Gonzaléz e o seu albúm
In Our Nature. Descobri-a na season finale de House MD cujo genérico é o instrumental do original dos Massive Attack. Posso dizer que a música... foi a única coisa que gostei em mais um episódio desta série que toda a gente tende a adorar menos eu. Falta aprofundamento humano das personagens... Têm uma boa base, mas péssima concretização.

Resumindo, a letra é linda, a música também. Enjoy.





quarta-feira, 25 de junho de 2008

V. Innocentia Veritas Viat Fides Circumdederunt me inimici mei

Hoje vi os ultimos episódios de Tudors. Várias cabeças inocentes são cortadas... E não sei se é por saber que esta é uma história veridicta, que acabei por me emocionar muito, ou seja, chorei baba e ranho ao bom modo da Raquel. Este poema, declamado na série pela personagem que interpreta Thomas Wyatt, foi originalmente escrito por este no século XVI. Pela beleza do texto e em homenagem à história decidi publicar. Chama-se: V. Innocentia Veritas Viat Fides Circumdederunt me inimici mei que significa: Os meus inimigos rondam a minha alma, que está rodeada de Inocência, verdade e esperança.

Who list his wealth and ease retain,
Himself let him unknown contain.
Press not too fast in at that gate
Where the return stands by disdain,
For sure, circa Regna tonat.

The high mountains are blasted oft
When the low valley is mild and soft.
Fortune with Health stands at debate.
The fall is grievous from aloft.
And sure, circa Regna tonat.

These bloody days have broken my heart.
My lust, my youth did them depart,
And blind desire of estate.
Who hastes to climb seeks to revert.
Of truth, circa Regna tonat.

The bell tower showed me such sight
That in my head sticks day and night.
There did I learn out of a grate,
For all favour, glory, or might,
That yet circa Regna tonat.

By proof, I say, there did I learn:
Wit helpeth not defence too yerne,
Of innocency to plead or prate.
Bear low, therefore, give God the stern,
For sure, circa Regna tonat.1)

1) Circa Regna tonat: "It thunders through the realms"

terça-feira, 17 de junho de 2008

Finalmente... Seek Up

A primeira vez que ouvi esta música tinha 17 anos e estava de férias com uns amigos no Algarve. Achei imediatamente que era a música apropriada para a banda sonora da minha própria vida. A voz de Dave Mathews enche-me o coração, e esta música... É simplesmente especial.

Seek Up - Dave Matthews Band

terça-feira, 10 de junho de 2008

The Tudors


Comecei a ver esta série por acaso, no meio de muitas que podia escolher, e em consequência da fome doida que tenho de ficção televisiva desde que as 15 séries que sigo foram de férias...

The Tudors é uma boa série. Muito boa. Mostra como decorreu o inicio da polémica que Henry VIII criou durante o seu reinado e que o fez ganhar um lugar especial na história mundial. Desde o filme (nota 15) The other Boleyn girl, que esta história tantas vezes retatada no cinema me chamou a atenção, principalmente a personagem de Anna Boleyn. Tal como no filme, a série retrata esta jovem mulher como calculista, ambiciosa, manipuladora e linda... Principalmente linda. Tal como Josephine fez com Napoleon, Anna deixa o rei de mil mulheres à beira da loucura (também conhecida por aí como paixão).
As duas primeiras temporadas até agora lançadas, mostram como Anna vai mudar a vida dos ingleses, não esquecendo o retrato fiel à vida na corte, com a corrupção do clero e a promiscuidade dos nobres.
Boa fotografia, boa banda sonora e um excelente guarda-roupa. Fiel à história e no entanto adaptado aos tempos modernos, vemos um rei do século XVI dizer à amante "Oh fuck, I´m coming!" E sim, as cenas de sexo também são muito boas... Ao nivel de Californication, das melhores em televisão.
Recomendo.

Downtown



Adoro esta música!! Apesar de ser do ano de 64, descobri o Downtown de Petula Clark no primeiro episódio da terceira temporada de Lost, aliás talvez o melhor season premiere de sempre. Encontrei este vídeo que tem imagens das primeiras três temporadas e a letra da lindissima música e decidi partilhar.

Quanto à quarta temporada, spoilers free... Eu gostei do final... Apesar de ter receio do caminho que os criadores estão a seguir, acho que os dois últimos episódios juntam muitos pontos dispersos no espaço e no tempo, e principalmente ajudam o espectador a começar a conceber o puzzle mental. Agora... Em 2009 há mais...
See you in another life Brotha!