segunda-feira, 25 de junho de 2007

Lost... in a Plot


A série Lost criou aquilo que já foi apelidado de Lostmania, sendo o melhor exemplo de como a televisão movimenta dinheiro muito para além dos ecrãs. Nos últimos três anos a ABC lançou livros (destaque para o caso de sucesso Lostpedia), colecções de roupa, Goodies (pequenos bonecos de plástico que reproduzem personagens de ficção) e provocou a discussão no seio de diferentes meios. Uma busca pela série Lost no Google, remete-nos a 455 milhões de entradas e num qualquer fórum sobre esta série (existem centenas em línguas diferentes), um tópico novo merece por vezes mais de 1000 comentários de usuários.
Lost é como na maioria das séries de sucesso, uma produção norte americana. A espinha dorsal do argumento é a queda de um avião numa ilha aparentemente deserta e a consequente forma como os sobreviventes vão, passa a redundância, sobreviver. Lost começou a ser desenvolvido em Janeiro de 2004, quando o então director da ABC, Lloyd Braun encomendou um argumento baseado numa ideia que ele afirmava ter há algum tempo, uma mistura do filme Cast Away e o reality show Survivor. Braun contratou J.J. Abrams, criador da série de culto Alias, para juntamente com Damon Lindelof, criar o estilo único da série e das suas personagens. O primeiro episódio foi para o ar nos Estados Unidos no dia 22 de Setembro de 2004 naquele que foi o episódio de um programa mais caro da história da televisão. Curiosamente e mesmo depois de centenas de prémios ganhos, Lloyd Braun foi despedido pela Disney, dona da cadeia ABC, por ter aprovado um projecto tão caro e arriscado. Em relação às críticas pela falta de respostas dadas na ilha, os argumentistas respondem: “Os críticos são fãs da série e quando eles estão a fazer uma critica negativa, fazem-na com o seu cérebro de fã a funcionar e não objectivamente como críticos de televisão.” Prepotência ou não, o certo é que a ABC assinou no início deste mês um contrato milionário até 2010 com J.J. Abrams e Damon Lindelof, altura em que a série contará a sua sexta temporada. Até lá ficarão por resolver os mistérios que assolam a ilha: homens invisíveis, ursos polares que saltam de livros de banda desenhada, mortos que voltam à vida, indivíduos que não envelhecem e o já carismático monstro lostzilla que não parece mais do que uma densa nuvem de pó.
PS- Sou uma lostmaniac... Também está definitivamente no meu top 3. E para quem sabe do que eu estou a falar... Digam lá que o "The man behind the curtain" não vos arrancou da cadeira... God loves you as He loved Jacob.

1 comentário:

xana disse...

Ohhhh e ainda isto estava no início eheheh Pois é, coincidência ou não . o último episódio foi um arraso em termos de audiência!! Esperava-se que fosse um arraso no bom sentido, mas não... Foi fraco, fraco, fraco! Não sei como, sendo que a série bateu verdadeiros recordes históricos de audiências, desde o day one!

Não sabia essa do despedimento... ;) E não sei como só agora descobri a lostpedia!!!! Que croma!! -.-